sábado, 20 de março de 2010

"COMER E COÇAR, É SÓ COMEÇAR..."

Desde que me entendo por gente, eu ouvia minha mãe falando esse ditado.

Era nas horas das refeições, quando um de nós não queria comer... aí ela falava: "Comer e coçar, é só começar"... Parece que deu certo, pois atualmente ela não tem nenhum filho ou filha que sejam magros.... todos aprenderam a lição! Agora, o tal ditado é usado para o seu efeito contrário: se comer e coçar é só começar, para fazer dieta, ficará mais fácil evitar o primeiro pedaço daquilo que não podemos comer...

Mas no decorrer da vida aprendi que a fórmula serve também para outras atividades. Falar, por exemplo. Há pessoas que são muito introvertidas e têm dificuldade em se abrir. Quando ousam experimentar a falar sobre si, perdem o medo e, sentindo-se bem melhores, passam a abrir-se mais, falar mais sobre si e ampliar sua rede de relacionamentos.

A regra também serve para gastar ou economizar. Quando se começa a gastar mais do que se pode, a pessoa começa a enrolar-se em dívidas e depois fica difícil parar. Quando resolve economizar, no entanto, na medida em que percebe as suas reservas aumentando, estimula-se a poupar mais e mais...

Beber, jogar e usar drogas também é outro exemplo. Nesses casos, o efeito dessa regra "É só começar..." é potencializado, pelo alto grau de prazer que essas atividades proporcionam.

Mas há outras atividades em que podemos usar essa regra do "só começar" de forma positiva.

Praticar exercícios físicos, por exemplo. No início, dá aquela preguiça... mas se fazemos um esforço para vencê-la e iniciamos alguma prática, logo passamos a nos sentir bem melhores e, pouco tempo depois, nosso organismo passa a sentir a necessidade do exercício físico.

Lembro-me também da dificuldade que eu tinha para escrever. Precisava elaborar uma monografia, mas parecia que as ideias eram tantas que ficavam emperradas na cabeça e não conseguiam descer para o papel. Felizmente tive uma boa orientadora que me sugeriu escrever de forma solta, sem preocupar-me com a forma ou o conteúdo. Sem criticar nada daquilo que eu escrevia.

Na época, o acesso aos poucos PC s disponíveis era complicado. O trabalho era feito à lápis ou caneta. Lembro-me que escrevi inúmeras páginas, um calhamaço de papel, muitos rascunhos desordenados. Depois passamos à fase de organização dos conteúdos, até que surgiu o esboço e, finalmente, a monografia.

Hoje com a tecnologia, nosso trabalho fica ainda muito mais fácil. Com ou sem ideia, ao sentar-me diante do computador, é só lembrar da regra: "comer, coçar e escrever... é só começar"!

E é dessa forma, com esta crônica, que volto a, depois de quase dois meses longe do blog, recomeçar a escrever...