quarta-feira, 27 de maio de 2009

MEDO DE SER FELIZ!

Então eu lhe perguntei:

- E você, está feliz?
- Sim, estou feliz!

Não pensem que ela saltitava por aí de alegria, apregoando aos quatro cantos o que havia acontecido.

Ela estava feliz, sim. Mas estava feliz por dentro. Estava feliz porque tinha a clara e inconfundível sensação de que estava acontecendo o que desejava, e de que tudo estava acontecendo do jeito que tinha de acontecer. Do jeito certo de acontecer, mesmo que ela nem soubesse qual seria o jeito certo.

O sentimento era de profunda satisfação existencial. Um sentimento de completude, de pertinência, de saber que faz parte de um plano muito mais amplo. Um plano superior, numa existência única de Amor, que surpreende as expectativas. Onde o inacreditável se torna real, as promessas que não se conseguia crer realizam-se.

Tudo agora parecia se encaixar perfeitamente, de tal forma que parecia incrível nunca ter pensado antes que pudesse ser assim.

Muitas vezes deixamos de realizar e viver aquilo que queremos por não acreditarmos do que seríamos capaz. Desistimos antes de começar. Desistimos antes de começar porque temos medo de investir, de criar expectativas que poderiam não se realizar. Mas se nem tentamos, como elas poderiam se realizar?

Chamamos isso de "medo de ser feliz". Temos medo de não conseguir alcançar aquilo que desejamos. Temos medo porque, chegando onde gostaríamos de chegar, nós achamos que vamos ser invejados. Nós temos a ilusão de que vamos perder o amor do outro. Temos medo da inveja do outro. E por isso acabamos não desejando, nem realizando o que poderíamos realizar.

Esse é um mito:"Vou perder o amor do outro se for melhor do que ele". Basta olhar para pessoas de sucesso e ver o quanto são amadas. As pessoas amam as pessoas de sucesso porque elas lhes dão esperança de terem sucesso também. Ou então as pessoas amam as pessoas de sucesso porque estar perto delas significa ter sucesso também.

Todos querem torcer pelo time que está ganhando, querem votar no político que o ibope aponta como provável vencedor, são fãs dos artistas que fazem sucesso. Queremos ter sucesso por meio de quem tem sucesso.

Mas, quando chega a nossa vez de ter sucesso, temos medo de perder o amor do outro. Esquecemos que cada um de nós tem a capacidade de chegar ao topo, aonde sonhamos, aonde o outro que admiramos também chegou!

sábado, 9 de maio de 2009

MÃES DE CORAÇÃO

Ao ver a menina moreninha levar ao altar as alianças do casamento da meia-irmã, ela ficou encantada!

Sabia que a menina era uma filha do coração. Filha do coração de uma mãe que queria muito ter tido uma filha e escolheu aquela menina para tornar-se mãe!

Mãe que é mãe, mãe que já nasceu para ser mãe, é assim: Não importa se tem filhos ou não. Faz de todos os seus filhos. Já nasceu para cuidar!

Se tem filhos, os cria; se não os tem, cria os filhos dos outros. Quem nasceu para ser mãe acaba sendo mãe dos irmãos, mãe do marido, mãe do namorado, mãe dos pais, mãe das amigas, mãe dos sobrinhos, mãe do gato, do cachorro, do papagaio e até do peixinho do aquário.

Mãe que á mãe, já nasce mãe e sabe que sua vida só faz sentido escolhendo ser mãe. Mãe que é mãe trabalha como mãe. Escolhe ser médica, psicóloga, professora, enfermeira, massagista, cuidadora, babá ou o que for. Sobrevive sendo mãe.

Ela era uma dessas mães que já nasceram mãe. Eu a conheço há alguns anos e sempre soube do seu desejo. Ela, que já era mãe desde que nasceu, queria agora ter uma filha. Uma menina moreninha como aquela que trazia as alianças.

E como foi durante o ritual sagrado que ela sentiu o desejo, O Pai, que lá de cima via tudo, resolveu atender. Pelas minhas contas, foi nesse mesmo tempo que nasceu uma linda menina, moreninha como aquela que ela viu nos seus sonhos.

Um dia elas se encontraram. A menina precisava de uma mãe. A mãe precisava de uma filha. E foi num momento mágico, num encontro casual que se encontraram. Encontraram-se e se reconheceram. Era a filha que buscava. Era a mãe que a menina necessitava. Do encontro, a conversa; da conversa, a visita; da visita, o passeio; do passeio, o fim de semana juntas. Da experiência de se conhecerem nasceu o desafio do primeiro mês....

Este ano o dia das mães é especial. É o primeiro dia das mães em que ela abraça a filha tão querida!

A filha que, desde o primeiro fim de semana,  já a chamava, magicamente, de MÂE!




Minha homenagem a todas as mães nesse dia, mas especialmente às mães de coração, e particularmente, à minha amiga Cláudia, que expandiu o seu coração para acolher a Karol. Que Deus abençoe a nova família!